30 de junho de 2009

Sentir-se em casa

Penso que me considero sortuda.
São poucas as au pairs que após quase duas semanas no novo país podem dizer que se sentem como se estivessem mesmo em casa, com sua própria família. O dia de nenhuma au pair é fácil, como também não é fácil o dia de um pai ou uma mãe, o dia de um empregado ou de um chefe. E para a própria criança, em seu mundo, ser criança também não é uma coisa fácil. E eu me lembro.


Diferente da maioria das au pairs, não tenho horários fixos e não fico contando as horas. Não senti necessidade ou vontade de recorrer a isso. Viver na casa da família para a qual você está trabalhando lhe dá algumas oportunidades, benefícios e talvez, dependendo do caso, inconveniencias. Morar junto ajuda a nào ter tanta homesick, tanta saudade da vida familiar e de estar perto daqueles que ama, principalmente quando tivemos um dia bastante cansativo. Morar junto também facilita os horários de acordar e dormir e a acessibilidade que temos as informações. Mas, por outro lado, complica muito para diferenciar o que é trabalho do que deveria ser diversão e descanso... pois no nosso caso, trabalhamos e descansamos no mesmo lugar.
Já li em muitos blogs que uma situação como essa tornou-se insuportável para ambas as partes principalmente por falta de diálogo. A au pair acaba trabalhando 24 horas por dia e muitas vezes não consegue se expressar para sua host family, o que acaba por deixá-la chateada com a família e as vezes esse sentimento sai do controle, o que faz com que a família perceba a infelicidade da au pair. Se a família não entende o problema, já vi acharem que a moça está de má vontade para com eles e reclamam... e mais uma vez, nossa heroína não faz nada... e se faz ou fala, acaba chorando e infeliz, imaginando se realmente deveria ter embarcado nessa aventura.
Ainda afirmo que o ideal é ter um relacionamento aberto com todos na casa. E se o caso é dizer que os horários não estão acontecendo como o combinado, respire fundo, faça o schedule oriinal e ideal e compare-o com o que possui atualmente. Isso já vai te ajudar a ver o tamanho do problema, quem sabe até reduzí-lo, caso a maior parte dessa angústia seja originária da saudade de casa.
Aqui, acordo junto com todos da casa (acho até que sou a última a acordar, uns minutos mais tarde), juntos preparamos o café da manhã e juntos comemos. Dividimos as tarefas, Frank e Iris levam as meninas na escola e quando nao podem levar o menino mais novo, fico encarregada disso. Na maioria das manhãs estou livre para estudar, ler e postar aqui no blog. Também livre para andar de bike pelas ruas e passear aproveitando este sol de verào. Nos dias em que o Morris não tem aula, podemos passear juntos ou ficar em casa brincando ou ainda passar algum tempo com o Frank, seja na praia ou no quintal dos fundos.
Nesse meio tempo, leio, brinco e descanso. ontem pela tardinha, após o almoço, tirei uma soneca com o Morris por alguns minutos, até ele levantar da minha cama todo animado querendo brincar novamente.
Não tenho horários, mas não sei se gostaria que tivesse. Busco as garotas na escola, levo no ballet ou no que precisar, algumas vezes elas vào brincar na casa de amiguinhos, outras eles que vem aqui brincar. Sao crianças, então são as vezes levados e teimosos, mas também trnaquilos e bastante carinhosos comigo. Preparamos a janta em família , mais um pouco de tv para relaxar e logo as crianças vão para a cama.
Tem dias que trabalho mais do que seria normal para uma au pair, tem outros que fico devendo trabalho. E nunca fui tratada como alguém de fora, acho que fui recebida como parte da família, aquela primona distante que vem visitar ocasionalmente, sabe ? Não temos cerimonias, e logo nos primeiros dias, eu já abria a geladeira se minha barria roncasse e já tinha a liberdade de permitir ou não que os meninos brincassem na piscina sem precisar correr pra pedir permissão aos hosts. Aqui, trabalhamos em conjunto, o que um fala tá falado e vale para todos. Entào, até agora as crianças não vem a mim pedir para livrar-lhes de algum castigo e não correm aos pais quando fui eu que falei algo ( no meu mais pobre holandes). As vezes esperneiam e nisto ainda aprendo com os hosts o que devo fazer para lidar.
Quando marco com alguém de sair um certo horário, se não há nada de excepcional na rotina de casa, adaptamos a agenda e não há problema em eu sair para me divertir. Também ganho mimos como as crianças, e também procura dar o máximo de mim.
Tenho muita sorte. Talvez, se eu tivesse um horário fixo, um schedule que deixasse a vida mais organizada ou pudesse me trazer mais dinheiro ( ou menos!!!) minha estada nesa família não fosse como estar em uma família, fosse como estar permanentemente no escritório, cheio de papéis para assinar que eu esperaria para fazer quando batesse o cartão. Desejo que isto seja mesmo um novo lar para mim, pois sinto mais falta do meu lar no Brasil do que imaginaria sentir e também tenho mais gosto pelas aventuras do que imaginava ser capaz de ter...
Acho que aqui encontrei uma grande esmeralda...
Beijos da caçadora de esmeraldas.
[Continue reading...]

28 de junho de 2009

Festa Disco!

Na última seta-feira, a escola das crianças que eu tomo conta aqui na Holanda realizou uma festa de final do ano escolar, com o tema "Disco", ou como popularmente chamamos os "anos 70". Semanas antes já tinhamos ido alugar as fantasias, e uma grande observação... adultos também comparecem fantasiados!
A festa foi na setx-a feira durante a tarde, e todos os pais e crianças compareceram. Música, comida barata, brinquedos, concursos infatis. Tudo! No começo a Erika não estava muito a vontade por estar de fantasia, não que tenha vergonha; ela não curte muito festas a fantasia. E eu, vergonha não tive nenhuma... mas também Não estava muito animada. A homesick ainda não havia sumido por completo,l mas essa era a melhor oportunidade para encher minha cabeça com outras coisas e esquecer um pouco a saudade do país tropical e de todos que ficaram por lá.
A Feest correu bem e as crianças se divertiram muito! Eu também, mas me senti um pouco de lado, tentei puxar papo com algumas pessoas, mas poucas vezes obtive sucesso. Não falar a língua local complica um pouco as coisas, mas todos, novamente, foram muito simpáticos comigo.
Algumas horas de festa e quando notei... estavam toooodos bebados ao meu redor! Todos os pais bebados, felizes, pulando, conversando, etc ! Todos rindo e se abraçando! Ri muito, era uma cena bem engraçada, diferente das que vivi no Brasil. A Erika e eu éramos de longe as mais sóbrias!
As crianças realizaram apresentações que elas próprias organizaram, o que foi muito bonitinho e criativo!!!
Bom, confiram as fotos!!!
Beijoooos


Iris no escorregador

Morris


Não podia deixar de tirar foto...



Música holandesa na voz das crianças!




Homenagem ao Michael Jackson


Achei o estilo legal







Moçoilas prontas pra feest !

Iris com suas meninas




Luna e eu





Irisje

[Continue reading...]

24 de junho de 2009

A primeira homesick

Respirando fundo a gente percebe quando está bem e quando Nào está. Eu sou assim, não sei você! Ontem foi um dia muito bom, calmo apesar de tudo e produtivo também. Aprendi mais algumas palavras e consegui fazer algumas coisas que queria. Também vimos um filme interessante.


O dia em geral fora muito positivo e eu estava bem feliz o dia todo. Até a noite chegar. Não, Não foi a noite em si, nem o escuro... nem nada externo que tenha me acontecido. Eu simplesmente liguei meu notebook, tentei fazer uns downloads e o maledeto se recusava a fazer a tarefa! Ok, Nào se recusou assim propriamente, fez todos os downloads que eu pedi, mas quando eu procurava pelos arquivos, nao estavam no computador. Recebia a msg de download bem sucedido,ams nada havia sido gravado aqui!!! Enfim, estou até agora sem saber como resolver isso.


Para me distrair enquanto pensava em como arrumar o maledeto, resolvi carregar meu Nintendo DS para jogar um pouco... ... ... *silêncio* cri cri ... ... O carregador nao fez nada, nem ligou, nem piscou, nem deu sinal de vida! Ah, não,né?! Tentei todas as tomadas do meu andar e nada ! tentei algumas lá de baixo... nada ! Entrei na net e já me sentia horrível. Como um problema tão idiota me fez sentir tão sozinha?


No Brasil, qualquer problema eletronico era resolvido com um : "papassiiiiinos" e ele vinha, sorrindo ou até reclamando, sentava em frente ao meu notebook e logo meu maledeto estava pronto pra outra! Comecei a sentir saudades. Fortes! Eram meia noite e eu havia já fechado a minha porta para ir dormir, mas não dormia. Ficava pensando na falta que estava sentindo da familia no Brasil. Papassiiiiiiinooooooos !!!! O que ele estaria fazendo ?

Fiquei falando no MSN com o felipe e o pascal e já havia dito aos dois como me sentia e ambos tentavam me fazer melhorar. Ai! Felipe , cansado, exausto do trabalho, com dores de cabeça de noites mal dormidas e um dia cansativo; online, pensando também no problema do Mikael ( nome que dei ao meu note) e também acalmando minha homesick! Conversando comigo. E o pascal, tentando me fazer sentir-me confortável na Holanda, falando que era questão de tempo, que logo me acostumaria e assim que fizessem mais amigos , saísse mais , eu já não sentiria isso.


Pensei por uns momentos se não sou velha demais para não saber arrumar meu próprio computador. Tá na hora de se virar sozinha... mas como ??? Eu não entendo disso, e não queria recorrer a ninguém. Peguei meu carregador e saí tentando faze-lo funcionar pela casa toda. Isso, ao menos isso, eu teria que conseguir e sozinha! Afinal, estou sozinha agora!

o Frank, host father, viu minhas tentativas frustradas enquanto trabalhava em seu computador. Aproximou-se, peruntou a voltagem do aparelho, verificou a mesma e desceu mais um andar procurando uma nova tomada que eu ainda nào tivesse testado. Nada !


Pegou um novo carregador, de uma das filhas, e me deu. Voltei para o quarto com um carregador inutilizado e outro funcionando. Um problema resolvido. Mas nào fora eu a resolve-lo e não consigo pensar que o outro serei eu a conseguir resolver também...


Hoje o dia foi bom, o Mikael ainda está dodói, mas com o novo anti-vírus que o Felipe colocou pra mim , vou descobrir se o problema está relacionado a algum vírus que peguei. Sinceramente, duvido, ams não me custa tentar!!! Hoje já andei de bike , fui buscar as meninas na escola. ë uma bike diferente... nunca tinha visto na minha vida. Essa cabinezinha é para as kids sentarem enquanto eu pedalo atrás. a nossa é um pouco diferente, as rodas da cabinezinha são de cada lado, mas de resto é igual.
Eles ficam lá, olhando, brincando, levantando as mãos para o vento e o céu... Díficil no começo, mas prático...
Beijooooos
[Continue reading...]

22 de junho de 2009

O primeiro fim de semana!

Meu terceiro dia de Holanda e fui à Pink Parade que houve aqui na cidade. Os Nouwens tinham ido à natação da Luna, a filha do meio, então a Erika e eu acordamos mais tarde e decidimos encontrar umas amigas dela na cidade, para ir na pink parade. Para os que nào sabem, ou não leram o último post direito... a Erika é au pair também, está aqui na família há mais ou menos um ano e meio e está indo embora na próxima semana. Ela também é brasileira e aé a ela que eu devo todos meus agradecimentos por tudo estar sendo tão mais fácil doq ue seria se eu estivesse sozinha. Vou sentir falta da companhia dela, e bastante !!!

Bom, continuando... primeiramente, ela me ensinou a pegar o tram que leva ao centro, particularmente é um pouco caro 2,40 euros, mas como a cidade é pequena dá para ir de bike também. Descemos no centro, e passeamos um pouco pela cidade, vimos as lojas, e a Erika ía comentando comigo os melhores lugares da cidade, os melhores bares, as lojas, etc... Passamos pelo parlamento, pelo palácio onde morava a família real ( que se mudou a pouco tempo para uma vila aqui perto por motivos de segurança) para então chegarmos na praça onde se realizava os shows. Diversas barraquinhas vendiam artigos na cor rosa e algumas ONGs faziam propaganda de seu trabalho

No palco, uma banda conhecida na Holanda e muito famosa, "Krezip" (info em inglês). Toda vez que escutamos as músicas em casa, eu me diverti muito... quero achar um CD deles... :) Nunca tinha visto tantos casais gays juntos, todo mundo se respeitando e todo mundo feliz. O que mais gostei foi ver os casais acima dos 50 anos, fiquei pensando em tudo que eles já devem ter passado, quando tudo era mais conservador mesmo aqui! Aqui na Holanda, o casamento gay é permitido por lei, assim como a adoção de uma criança por um casal gay ( adoçao conjunta). Vi muitas senhoras de mãos dadas ostentando o mesmo estilo fashion: cabelos curtos espetados e tingidos na pontas ( ou coloridos mesmo). Vi também casais gays que nunca imaginaria, o que me fez sorrir... afinal, estereótipo não é lei nem correto!!! Barracas vendendo artigos sadomazoquistas e expondo algumas peças ( inclusive modelos vivos...), barracas cheias de arco-íris e fotos, camisetas com os mais diversos dizeres : "God made me gay " ou "The only gay in town"( ambas eu vi várias pessoas usando). Logo encontramos as duas amigas da Erika e mais uma rodada de fotos.

No domingo , pela manhã fui com os hosts à missa em que a Irisje iria cantar no coral. Nunca vi coisa igual! Era uma missa... infantil, teve teatro com direito a uma espécie de " morto-vivo" com as direçoes de um barco... popa, proa... e todos tivemos de participar em nossos lugares. Já posso dizer que sei falar "estibordo"em holandês!!!A missa durou mais de uma hora e meia, fiquei um pouco cansada, mas queria aplaudir a Irisje e dar uma força por ela estar no coral! A tarde, quando as duas outras crianças voltaram, fomos a praia em Scheveningen, se não me engano. Fomos a um beach club, o Wij , que é o preferido da família e das crianças.

Nos divertimos muito, todos nós. Como o restaurante é na praia, todas as crianças ficam correndo pra lá e pra cá , nos brinquedos e na areia. Lotado! Achei que nào teríamos onde sentar, então fomos dirigidos a uma colchaozao na areia do lado de fora, e ficamos ali, sendo atendidos numa boa. Fazia friozinho, ams o sol me aquecia um pouco e fiquei deitada lá, olhando as kids correrrem. Logo, Iris e um casal de amigos chegaram e sentaram-se na areia, de roupa mesmo. Gostei, sem frescura, nem nada. Todo mundo bebendo vinho, sorrindo e sentado na areia conversando. Acreditem ou não, tomei um suco de açai com guaraná !!!E estava muito bom, mas quase ninguém quis provar por que a cor não deixava o suco com uma aparencia apetitosa...
Depois, quando o vento nos deixou com mais frio, entramos no restaurante, na parte coberta e ficamos numa mesa que tinha uma lareirazinha no centro. Super chique!!!


Jantamos lá mesmo, e adorei os tais "bitterballs" e os "krokets". Aiii, que delícia!!! Ah e quase esqueci, aqui era o dia dos pais ontem! Ent~ao, quando chegamos as kids logo correram para dar os presentes que fizeram na escola e eu aproveitei para dar os presentes que trouxe do Brasil. Iris(mae) ficou muito agradecida e surpresa, comentando, que n'os brasileiros temos o habito de presentear todo mundo e tudo mais!!! Ela colocou o colar que minha mãe escolheu e ficou lindo!!! Hoje, quando saímos para levar as kids na escola, ela estava de novo com o colar, fiquei muito feliz!!!
As fotos da Parada eu não consegui colocar, mas não tinham muitas não... minha camerca acabou a bateria logo no começo. Mas na minha página no youtube voces encontram o vídeo que está no fim do post e também um vídeo da parada ( um sambinha ) .
Beijão a toodooooos Amo voces!!! Saudades miiiil!

Morris, Erika e eu




Morris e Erika




eu

Bolinhas de sabão



Iris e seus amigos










Irisje

Dia dos pais









Irisje mãe e Morris

Dando pão aos patos...






Carruagem

Palácio

Exposição espanhola ( se não me engano)

Sambaaaa





video
[Continue reading...]

19 de junho de 2009

Primeiro dia em Den Haag


Nem acredito que cheguei!!!
Após me maravilhar com a tecnologia disponibilizada no avião veio aquela saudade e as perspectivas de cada vez mais saudade ainda! Chorei! Nunca imaginei que fosse chorar, mas chorei. E não foi pouco... foi uma dor sentida, uma mistura de medo e vontade de voltar atrás... Acho que raramente me senti assim antes.

O voo foi ótimo, aproveitei a comida, a hospitalidade e simpatia dos comissários e não tivemos quase nenhuma turbulência. E assim que cheguei ao aeroporto de Amsterdam, encontrei com o Frank- meu host father, a Erika- minha guia au pair :) , o Morris - kid mais nova e seu amiguinho lindo Casper. Era como se já os conhecesse, e acho que sentiram o mesmo, pois mal me viram com as malas todas e já sabiam que era eu!
Conversamos bastante em inglês enquanto o Frank dirigia em direção a Wassenaar, onde estão construindo a nova casa da família. Então, conheci a Iris- host mom. Conheci também a nova casa onde vamos morar, num bairro bem chique de uma vila pertinho de Den Haag. A casa ainda está sendo construída, mas já tem dado inúmeras dores de cabeça à Iris e ao Frank.

Então, seguimos sem o Frank, que ficara na nova casa com os construtores, para Den Haag para buscar Irisje (Irisinha, som de Irisha) da escola e deixá-la na aula de reforço e em seguida, buscar a Luna da escola e logo mais buscar a Irisje da aula de reforço! Ufa!!! Nessa brincadeira, já estou perdida no meio das ruas e sinais!!! As meninas estavam vestidas com roupas lindaaaas. Tentamos buscar o Frank lá na nova casa para irmos pra casa jantar, mas nos perdemos diversas vezes ( inclusive quando ligamos pro Frank para instruçoes... ele também se confundiu). Enfim resolvemos apelar ao GPS para pedir informaçoes hahaha !!!

Notei também como holandês é parecido com alemão, o que para mim é maravilhoso!!! Consigo compreender algumas expressões e palavras, normalmente ditas pela Erika ou pelo Frank... não consigo compreender as crianças direito. Acho que virá com o tempo.

A casa da família, que eles sempre falam "nossa casa", me incluindo nessa; é maravilhosa!!! Nunca vi escadas tão ingremes e longas como essas dentro de uma casa, pareço o Morris ( de 3 anos) subindo... mas notei que com isso a gente também acostuma!

Meu quarto foi minha maior surpresa! Gigante, com uma cama que dá maismetade do meu quarto no Brasil e confortabilíssima. tenho um armário bonitinho, pequeno, mas bom o suficiente para minhas coisas( que estão ainda jogadas pelo quarto) e tenho também uma varanda que dá para o fundo da casa ( que é lindooo).
Ontem ainda, fomos com todas as kids para um restaurante na praia( literalmente na praia), onde eles brincaram bastante e eu tomei um smoothie de Maracuja!!! As músicas que tocam lá são quase sempre em português, seja de Portugal ou do Brasil ( e os smoothies são todos das nossas frutas típicas!) Estou começando a achar que gostam bastante do Brasil. Em uma das muitas ruas que passamos, vi numa das janelas, uma bandeira do Brasil ao lado de uma bandeira do Grêmio... devem ter muitos brasileiros por aqui...!!!
Jantamos comida chinesa, que é extremamente diferente da que estamos acostumados no Brasil, mas é deliciosamente igual! Mas não tinha biscoitinho da sorte, nossa sobremesa chinesa eram os biscoites de arroz, que são muito bons também!

Aqui parece que nunca anoitece!!! Ao menos, quando fui dormir, passadas 21hs, ainda estava claro como se fosse 17hs!!! Ainda não vi a noite desse lugar!!! E em breve teremos o mais longo dia do ano, que é recebido com muitos festivais locais! Parece também que cheguei numa época maravilhosa para sair e ir a concertos e festivais... :D
Bom... algumas fotinhos para vocês!!! Amo muito todo mundoooo!!!



Carro futurista no aeroporto

Morris, o tímido, e Erika


Casper, o amiguinho simpático


Morris e Casper na escolhinha da Luna.


Luna no carro


Frank, Morris e eu


eu


Irisje e Frank


Irisje


Erika e Irisje


eu e Luna


Quintal ( visto da varanda do meu quarto)

Vista da varanda


Vista da varanda
Espero que tenham curtido as fotos e o relato... beijoooooooooooooos a todos
Nadz ou Nanaje!
[Continue reading...]
Designed By Yasmin Mello | 365 dias