30 de dezembro de 2011

12 Perguntinhas para 2012

12 perguntas para 2012 (Autora do Meme Georgia Aegerter)
Eu não sou a pessoa que mais ama Memes, mas vi este no blog da Georgia e achei que poderia participar!


1) Quem vc gostaria de ter ao teu lado mais vezes neste ano de 2012?

-Minha melhor amiga argentina Flor

2) Quem vc gostaria de ressuscitar se tivesse poder para isto?
-Acho que ninguém... todos foram por alguma razão acima do meu entendimento.Ok, mas assim qualquer pessoa, acho que Ayrton Senna me deixaria feliz se ganhasse corridas novamente!!!

3) Quem você nao ressuscitaria?
- Adolf Hitler (faço das suas palavras as minhas, Georgia!)

4) Quando vc chorou pela última vez e por que?
- No começo do mês, na hora de dormir.

5) Quando você riu pela última vez e porque?
- Ontem a noite, foi uma noite bem gostosa.

6) Qual foi o presente que vc recebeu e que te deixou surpresa?
- Uma imagem mosaico que um artista argentino me deu ontem!

7) Qual foi o seu primeiro pensamento quando abriu os olhos esta manha?
- "Quero dormir maaaaais"

8) E qual foi o seu último pensamento ontem antes de dormir?
- Queria que não fosse tão complicado...


9) Qual foi a última coisa que vc comprou prá vc mesma?

- Meu vestido de ano novo!!!
10) O que deixaria você feliz neste novo ano que comeca?
- Sentir-me mais capaz e confiante em realizar meus objetivos!

11) O que você gostaria de realizar em 2012 e que nao conseguiu realizar no ano que passou?
- Escrever e publicar meu livro.
12) Um motivo pelo qual você deve ser agradecida.
- Pela Vida 

Se você também quiser participar e responder suas 12 perguntinhas para 2012... é só copiar e dar os créditos do Meme à Georgia, do Saia Justa. Ah, não fiquem acanhados em comentar... eu AMO comentários... (me sinto valorizada LOOOOOL)
[Continue reading...]

28 de dezembro de 2011

Aos vovôs!

Estava escrevendo um e-mail a um amigo estrangeiro e ele comentava que iria visitor sua avó, que não via há muito tempo. E então,em minha resposta, comecei a tagarelar sobre minha relações com meus próprios avós e principalmente, rever minha relação com meus falecidos avôs ... após a morte deles. Parece mesmo meio impossível ter uma relação com um avô após sua morte, mas acho que suas partidas foram tão sentidas e significativas em minha vida que nossa relação se desenvolveu para uma outra dimensão desconhecida. E que ocorre principalmente em sonhos.

Meu avô Francisco morreu aos 84 anos em 2004,após um derrame. Hoje ele teria 91 anos, assim como sua mulher, minha avó Carmem. Meu outro avô, Fernão morreu aos 79 anos, há dois anos atrás, poucos meses antes que eu embarcasse para a Holanda, ele teria hoje 81 anos,quase dois a mais que sua mulher, Cecília, que fez 80 mes passado.

Ocasionalmente eu sonho com eles, e por mais engraçado que pareça, é mais freqüente do que sonhar com as minhas avós Carmem e Cecília, que eu vejo com freqüência. A primeira vez que sonhei com meu avô Chiquinho(Francisco) nós estávamos em uma Universidade, e o professor anunciava um convidado de honra e fiquei surpresa em ver meu avô caminhando naturalmente em minha sala, mais moço, sem problemas locomotores(como ambos meus avôs tinham!). Ele ficara surpreso em me ver e exclamou feliz “Nadja! Há quanto tempo eu não a via” e me fez chorar e sorrir. Eu estava orgulhosa de vê-lo lá.

Avô Fernão veio a mim em sonhos já muitas vezes, mas no começo não eram sonhos bons e eu sempre acordava assustada. Com o passar do tempo, ele começou a vir em meus sonhos só para que eu ouvisse sua voz, e é engraçado notar como eu sentia saudades da sua voz, do jeito que ele pronunciava as palavras. E sua exclamação ao falar “Poooooxa”. E isso ele dizia sempre, num jeitinho muito particular e feliz. E eu sempre tento imitá-lo, sem sucesso. E quantas vezes eu já tentei,  como se a cada vez pudesse ficar mais próxima dele.

A gente lembra mesmo mais das coisas pequenas e cotidianas de alguém que partiu. Aquelas características marcantes que em vida a gente mal dava importância. Antes que meu avô Fernão partisse, eu lhe disse que quando estivesse na Holanda pesquisaria mais sobre nossa família, em como um holandês resolveu cruzar o continente até Portugal e depois o oceano até o Brasil, que na época ainda era só mata. Mas quando eu realmente estava lá, a vida passou tão rapidamente e eu nem sabia onde procurar... com séculos tendo passado desde que um ancestral meu tivesse vivido ali, que eu não achei nada... e não procurei muito também. Hoje eu faria diferente... aliás, é o que pretendo fazer em breve, assim que tiver uma nova oportunidade.

Queria também ter colocado algumas fotos com este post, mas com meu notebook no conserto e sem scanner, fica difícil. Tentarei mais tarde :) Para vocês verem meus dois "bons velhinhos" :)



[Continue reading...]

5 de novembro de 2011

Sedentária? Eu?!!!

Muito trabalho, muito estresse e umas dores no lado esquerdo do peito me levaram a um cardiologista. Duas vezes antes(este ano), em visitas a outros médicos, descobri que tenho uma... extrassístole cardíaca. Mais comumente chamada de arritmia. Fiz um exame que acabei nunca levando à minha médica e reslvi conversar com meu pai sobre essa tal arritmia, que ele tem e que meu avô tinha. Ok... talvez seja algo genético completamente controlável! O segundo médico me aconselhou a procurar o tal Cardiologista, um homem de altura mediana e sorriso sincero, com um consultório a poucas quadras da minha casa.

Após a constatacão da extrassístole, uma série de exames foram pedidos, sem que na época eu realmente sentisse algo diferente em meu coracão. Holter, Ecodopplercardiograma e ergométrico. O primeiro, Holter, é um aparelhinho que serve para gravar todos meus batimentos cardiacos, e  descobrir quando e como essa arritmia se dá. Para isso, fiquei 24 horas com esse aparelhinho preso ao corpo, anotando numa folha todas minhas atividades e com o horário de início e término de cada uma.

Eu nunca fui muito atlética. Sempre digo que preciso fazer exercícios, que vou caminhar todos os dias ou mesmo andar de bicicleta para levar uma vida melhor. Mas logo desanimo. Nunca durei mais que um mês em uma academia... e olhe que para chegar em um mês a briga comigo mesma era grande! Mas também nunca me preocupei muuuito com isso, nunca fui gorda e nunca tive grandes problemas com meu corpo... ok, tenho asma, mas mesmo assim, eu sempre a considerei controlável ( tomo remédios diários, tem que estar sob controle!!!) Mas esta semana, por dias seguidos, sentia uma forte pressão no peito esquerdo, com uma leve dormência no braco e parecia que todos os lugares em que eu estava vibravam. Fortemente! Acho que o estresse realmente comecou a me afetar. Melhor mesmo fazer logo esses exames. E desta vez, retornar ao médico.

Hoje realizei os dois últimos exames. Primeiro o ergométrico, andar e correr na esteira. Duas outras mulheres faziam o mesmo teste, uma de cada lado. Eu me encontrava no meio. Ambas mais velhas que eu, mas com muito mais pique e muito menos cansaco. Fiquei cansada bem rápido, sentindo a exaustão presente. É, acho que ontem não foi o melhor dia para comecar a praticar Yôga! A atividade tinha mesmo alongado até meus fios de cabelo! Tinha sido o maior esforco que eu já fiz em toda minha vida, juntando todos os meses picados de academia ou de bicicleta na Holanda!

Exames realizados, sentei-me na sala de espera da clínica e continuei com a leitura de "Não conte a ninguém" de Harlan Coben. Livro magnífico, instigante, cheio de mistério. Ao meu lado, uma moca com a qual eu divido muitas coincidencias. Eu me chamo Nadja, ela se chama Nádia. Moramos no mesmo prédio, em apartamentos com os mesmos números, mas arranjados em ordem diferente. Jogamos conversa fora e juntas ficamos animadas em passados nossos exames e após aprovadas pelos respectivos médicos, comecariamos a caminhar e andar de bicicleta juntas. Claro, uma coincidencia a mais que marcamos os mesmos exames para a mesma hora no mesmo local.

Os resultados logo me foram entregues e mal pude conter a curiosidade em obrí-los e ler o que cada um dizia sobre meu coracao. Nada além das extrassístoles. Nada de anormal ou de errado. Bom! Mas... em letras garrafais anormalmente gigantes na primeira página lia-se minha descricão:

INDIVÍDUO : SEDENTÁRIO

Ok, as letras não eram garrafais  e nem estavam maiores que as outras que continuavam com todas as minhas caracteristicas e histórico médico. Mas a mim pareceu que só aquilo saltava aos olhos, até puder ver aquela frase brilhar! Não que isso não fosse verdade... vejam bem: eu SOU sedentária. Mas acho que era uma daquelas verdades que fingimos que não sabemos, fingimos não existir por que sou saudável e no geral satisfeita comigo. Estranho então como aquilo, impresso na minha folha de resultado mexeu comigo. EU! SEDENTÁRIA! Realmente, ali, para todo mundo ver! Acho que até letras mágicas apareciam ao lado daquilo : PREGUICOSA! É, outra verdade que eu tento esconder, por que minha mente sempre deixa para amanhã o que eu realmente podia ter comecado hoje... entäo ela fica se enganando, de que na verdade... eu não sou sedentária... porque seeempre tenho planos para comecar a fazer exercícios e viver uma vida mais saudável e mais plena.

Hah! Agora parecia piada. E de mau gosto! Foi pior do que olhar no espelho e ver aqueles pneuzinhos a mais quando estou pronta para ir a praia. Aquilo falava sobre meus hábitos, meus costumes, toda minha vida de deixar para o dia seguinte o que poderia me fazer melhor já hoje. Pois é! Sedentária! O médico enquanto analisava meus batimentos, soltou uma exclamacão... "É, precisa mesmo fazer exercícios".

Depois dessa não há mesmo como escapar e enganar minha mente de que eu tenho vontade , mas o que falta é tempo.  Mentira! Quem quer, arruma tempo!


E como eu comentei alguns paragrafos acima... coemcei o Yôga, que ao contrário do que se pensa, é uma atividade física intensa como qualquer uma que fazemos nas academias. Mas com um pano de fundo diferente, tranquilo, gostoso, relaxante e o principal, feito por mim mesma. Entendi que a filosofia do Yôga é o auto-conhecimento, o equilibrio. E além de uma atividade deliciosa, acho que já vai me ajudar a espantar o "sedentário" deste meu individuo. Para sempre! Ponto!!!

[Continue reading...]

12 de outubro de 2011

Não bem esse tipo de esmeralda


"Não sou este tipo de garota" de Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito/Sêlo : Jovem/ twitter: @Novo_Conceito

Mal haviam se passado 24 horas desde que eu começara a ler o livro. Agora estava sentada na cama, apoiada em meu travesseiro com o livro fechado em meu colo. Os olhos inchados denunciavam as emoções vividas nas últimas horas. Terminado, o livro havia terminado. Mas eu não o havia deixado partir. Não ainda.

Uma história adolescente, leve, verdadeira,envolvente. Tão envolvente que eu, com 25 primaveras completas, me encontrava às lágrimas numa terça-feira a noite, véspera de um feriado. Abraçava o livro como se tivesse medo de perdê-lo, medo de ao acabar a leitura , tudo que ele havia representado,morresse. Respirei fundo e olhando a bonita capa, delicada e sutil senti pela primeira vez que não mais queria que a greve dos correios acabasse.

O livro havia chegado apenas um dia antes em minha casa, em meio a greve , o pacote contendo Não sou este tipo de garota fez seu trajeto de Minas Gerais até mim, em São Paulo. Uma semana antes eu não imaginava o que era um Livro Viajante, que existia todo um grupo na internet dedicado a levar a leitura uns aos outros, colocando algum título interessante para viajar por um determinado grupo de pessoas. Pessoas que nunca se encontrariam cara a cara. O primeiro Livro Viajante que vi foi este do livro de Siobhan Vivian e pouco após me inscrever, descobri que seria a primeira a lê-lo e teria 15 dias para fazê-lo até ter de passá-lo adiante.

Havia lido algumas resenhas sobre sua história ,mas não pude compreende-la de verdade e agora em minha cama, após devorar todas suas páginas, vejo que cada resenha, mesmo a melhor e mais bem trabalhada não fez juz ao seu conteúdo. Ou pelo menos não fez juz ao que o livro e suas personagens me fizeram sentir. Cada página era tão delicada e bonita que de cara eu já estava apaixonada por sua edição, por seu cheirinho e por tudo mais. Mas eu não imaginava que seria assim, que Natalia, a protagonista, fosse falar comigo assim, tão firmemente.

E quanto mais eu escutava Natalie e perambulava pela sua visão de sua própria vida e escola, mais eu reconhecia os comportamentos com os quais convivemos desde crianças e que pelo visto nos acompanharão o resto da vida. Eu não esperava encontrar esmeraldas nessa leitura, mas acho que o livro era uma mina protinha para ser descoberta... especialmente quando vemos cada personagem por trás de sua máscara, algo que a autora conseguiu fazer muito bem. Por trás das constantes fofocas, das maldades, dos olhares e amizades havia em todos humanidade e mesmo nos mais imprudentes ou detestáveis... o lado humano aparecia para me lembrar que existem coisas que são comuns a todos. Todos sentimos, todos erramos e todos queremos melhorar(mesmo que não conseguimos por vezes).

Agradeço hoje por este livro ter chegado até mim, mesmo não sendo meu e mesmo que eu não possa tocá-lo e vê-lo constantemente na minha estante. Um pouco dele com certeza ficou aqui, e as esmeraldas que eu achei não são de mais ninguém... e eu tenho certeza de que você pode achar as suas também, talvez diferentes das minhas, mas tão especiais quanto se você se aventurar pelo mundo de Natalia Sterling , que você vai ver, não é tão diferente do seu, mesmo que você já tenha passado das 25 primaveras como eu...

Livro Viajante disponibilizado por Philip Rangel do Blog Entrando Numa Fria

[Continue reading...]

20 de julho de 2011

HBN- Brazil : Quer ser Au pair na Holanda?


Olá a todos meus amigos.

Muitas vezes recebi comentários em meu blog de garotas interessadas em ser au pair na Holanda, como eu fui. Recentemente recebi uma proposta de uma agência que seleciona au pairs para o programa na Holanda e me voluntariei para ajudá-los a preparar as meninas para esta jornada.

Também fico a disposicão para responder todas as perguntas e auxiliar as candidatas com vistos e demais documentos , assim como serei mediadora entre a agencia e a au pair. Aos interessados entrem no blog que criei com o proposito de divulgar a agência no Brasil www.hbn-brazil.blogspot.com

A Holanda recentemente aprovou uma nova lei que regulamenta o programa de au pair, e não mais será possível que o programa seja feito sem uma intermediacáo de uma agência. A HBN (Huisje Boompje Nanny) é uma agência já conhecida na Europa que une au-pairs e famílias na Holanda e assegura a ambas uma boa experiencia. Contam com agentes em toda a Holanda e fora dela... e todas as agentes, obrigatoriamente, já foram au pairs no país anteriormente.

Deixo aqui meu skype caso alguém de vocês queira falar sobre o programa ;)

skype : saori_kido13

Bye Bye Doei!!!

Nadja
[Continue reading...]

3 de março de 2011

Convidada para um chá de bebê!

Existem muitas passagens em nossas vidas que merecem celebrações únicas. E desde os tempos primórdios os homens celebram as diferentes fases da vida, tendo em mente as mudanças de corpo ,mente e o simbolismo que cada gesto celebrado reflete na vida em comunidade.

Nos dias atuais, muitas dessas passagens passam em branco. Quando vemos já somos homens feitos, muitas primaveras já passaram, sentimos saudades de épocas passadas, de momentos não celebrados.Não sei se eu mesma comemorei cada vitória e cada passo a mais como deveria, mas sei que não posso mais deixar nada passar batido em minha vida...

Não sou eu a ser comemorada agora, mas ser convidada a uma comemoração mexeu também comigo. Significa que estou crescendo, que logo serei eu a dar esse passo além, a dar continuidade a minha família. Na última semana compareci ao primeiro chá de bebê para o qual fui convidada, o da minha prima Bia, e alguns dias após o chá recebi pelo correio o convite de casamento (o primeiro endereçado a mim) de uma amiga estadunidense que eu infelizmente não poderei estar presente.

Duas comemorações grandiosas para as quais eu nunca havia sido convidada (não diretamente) se apresentam para mim em um período de menos de uma semana. É! Acho que o tempo está mesmo passando... Bom... o que eu quero mesmo é compartilhar algumas fotos do evento... do Chá de Bebê!

A menininha se chamará Mariana


A mesa toda arrumada! reparem no detalhe do bolo de fraldas!


E enquanto a festa não começava, eu brincava com o filho pequeno da minha outra prima... e ria do olhar de preocupação que ela me lançava de vez em quando, e dos comentários " Olha a cabeça, olha aqui e ali". Não que eu seja a uma expert em crianças, mas já estive em situações muito mais desesperantes com 3 crianças, e uma quase da mesma idade que o pequeno... Achei engraçado, coisa de mãe de primeira viagem mesmo!

Não liguem para os "ToyVoyagers" de penetra nas fotos... eles também compareceram à festa... hehehehe







Fiquei pensando que logo logo serei eu a enviar convites de casamento, do chá de bebê dos meus filhos... comparecer a reuniões escolares, me preocupar muito mais com tudo... não sei se sinto que tudo passou rápido e ainda sou criança, ou se há ainda muito tempo pela frente...
[Continue reading...]

17 de fevereiro de 2011

Uma esmeralda bacharel!

Terça-feira passada sentada no banco da rodoviária de Santos ao lado do Felipe, o guitarrista de posts passados, esperando o ônibus para Marília, a cidade onde estudei por 4 anos, quando cursava Relações Internacionais.

Aproveitei que o dia seguinte seria feriado em Santos pelo aniversário da cidade e portanto, outros locais estariam funcionando como num dia de semana normal, o que me permitiria ir para Marília ver em que passo estava minha documentação sem que precisasse faltar no serviço. A viagem parecia bem longa, e eu estava anciosa por mostrar a ele tudo que eu já conhecia, o que havia vivido anos antes. Chegamos bem cedinho, pouco após as 6hs da manhã, e mesmo assim nosso amigo China, o Vanderlei, foi nos buscar.

Pudemos descansar um pouco e logo partimos juntos para a Unesp, onde eu havia cursado Relações Internacionais durante 4 anos. Engraçado como tudo parecia o mesmo, a mesma vibração, as mesmas pessoas e aquelas que eu não conhecia portando-se da mesma forma. Logicamente era época de férias e poucas pessoas perambulavam pelos corredores abertos e ventilados da faculdade. Dirigi-me à Graduação afim de perguntar o que faltava para que eu pudesse concluir o curso.
Seu Gerson, muito simpático, respondeu a todas as minhas perguntas e me alertou :
-Aqui consta que a matéria X não foi concluída.
Gelei!!!! Como assim a matéria não foi concluída???
Eu cursei todas as matérias, fiz todas as provas!!! Respirei fundo:
- Você lembra o professor que deu esta matéria?
-Ah, lembro sim... - Felipe já havia notado como eu estava pálida,
imaginando que em meados de janeiro, professores em férias, longe, em suas casas
normalmente em cidades distantes!!! E agora???


Por um acaso do destino, o professor da matéria X era o único de meu curso presente naquele momento na faculdade. estava aplicando um concurso e me avisou que só estaria disponível a tarde. Voltamos para falar com o Gerson, que me avisou então que ao receber a nota do professor eu deveria correr para alugar uma Beca e comprar um Canudo e poderia colar grau dois dias depois, com todos os alunos e toda a formalidade normal a uma formanda! A tarde, retornamos e esperamos no calor de Marília pelo Professor, que apareceu e confirmou minha nota, também sem saber porque ela não havia entrado no sistema.

Corremos! Corremos e corremos para o centro da cidade para alugar a beca! Fila imensa na loja de aluguel de roupas e tira medida daqui e dali, eu teria uma beca! E também um canudo! UFA! Podemos voltar para casa do Vanderlei e respirar um pouco!A noite fomos comer pizza e mostrar ao Felipe os locais mais quentes da cidade... o que não era dificil, porque com aquele caloooor, qualquer lugar já seria quente!!! Hehehehe

E naquela mesma noite ele retornou a Santos... mas não sem antes descobrirmos que as passagens para Santos estavam esgotadas, e que então ele deveria ir por São Paulo, pegar metro e mais um onibus a Santos...
Mais dois dias em Marília e chega a sexta-feira, dia da colação de grau. Minha mãe já havia chegado para passar o dia comigo, descansara pouco e logo estavamos conversando sobre o que isso significaria na minha vida. A Gilda, mulher do Vanderlei, estava tão animada quanto nós duas e pouco antes das 18hs eu já estava pronta... a Beca era larga, grande... e eu a coloquei e tirei diversas vezes antes de coloca-la decentemente num cabide e partir com minha mãe e o Vanderlei (a Gilda ficara cuidando do filho deles, o Ian) para o local da colação.
Logicamente todos do meu curso de Relações Internacionais estavam vestido com uma beca diferente, mais bonita, menos gigante, mas eu não me senti mal! Não era propriamente a minha turma, eu sou da 2* turma formada em Marília, com eles estudei e convivi, mas como não havia apresentado a monografia, só pude colar grau mesmo com a 4*turma formada no curso. Alguns de meus colegas ainda se lembravam de mim e enquanto eu me preparava, fiquei feliz em rever dois colegas de turma mesmo, que estavam na mesma situação que eu: O Sérgio e o Viccenzo.

Curioso que nós três estavamos normais, roupas normais por baixo da beca, sem muita arrumação enquanto todos os outros formandos estavam impecáveis, bonitos, arrumados até os minimos detalhes. Nossa época mesmo já havia passado, estavamos apenas cumprindo a formalidade. Desfilamos pelo tapete (sem escorregar) e chegamos ás nossas cadeiras, e ao meu lado, a garota com quem eu me dei melhor da 4* turma, a Nagy, quem eu mais conhecia. A colação fora beeem longa e incrivelmente conheci uma moça a minha frente, a Japa Loka, que havia morado na Bélgica e falava... holandês!!! Delirei e conversamos muuuuito em holandês no meio da colação.

Foi divertido... foi estranho também. Receber a benção academica e o certificado de conclusão de curso. Acho que uma parte de mim achou que nunca terminaria isso, e talvez uma outra parte de mim não quisesse mesmo terminar... afinal, sair da faculdade, procurar emprego, ter responsabilidades , tudo isso assusta um pouco demais. E eu sempre sonhando em continuar os estudos, fazer pós-graduação, mestrado... e sem fechar este capítulo de minha vida, nunca poderia. Mas acho que me formei na época certa, amadureci o suficiente nesses dois anos e posso agora ter orgulho de ter me formado no curso em que me formei, ter desenvolvido algumas idéias para meu futuro e ainda ter as possibilidades apresentadas a uma recém-formada.
Isso tudo só pode me deixar feliz. E vejo que em minhas buscas pelas esmeraldas do mundo, posso achar uma brilhando em mim, pequena, crescendo... mas ainda sim, há em mim uma esmeralda.
[Continue reading...]

24 de janeiro de 2011

Caminhos a seguir

Sentada num banco da praça Mauá no centro de Santos em meu horário de almoço, não posso deixar de pensar na minha vida o que quero e devo fazer dela. sempre peço a opinião de todo mundo, mas nunca sigo praticamente nada o que me foi aconselhado, sigo minha cabeça, meus impulsos.
Tenho em minhas mãos um exemplar da revista "Você s/a" numa tentativa de investir mais em mim mesma, na executiva escondida que por vezes quero deixar crescer. Em minha bolsa um livro muito interessante que estou lendo " Lendo Lolita em Terã" de Azar Nafisi. Meus olhos perdidos no ambiente, sem ler nenhum dos dois. Estou desanimada, esgotada de pensar no futuro, de me olhar no espelho e ver 24 anos de vida sem nenhuma grande conquista. Sinto como se necessitasse algo mais, um rumo... um desejo!

Uma vez, durante uma viagem à Cruzeiro com meu Papassinos, lembro-me de termos conversado sobre sonhos e ele me confessou que há muito havia perdido seu foco, seu sonho, o motivo de quer crescer, fazer isso ou aquilo e que só lhe restava sobreviver a cada dia.
De alguma forma aquilo me fez sentido e soube que isso é como uma morte em vida. Pois quando nada mais buscamos, quando nada mais queremos atingir, o que nos resta se não esperar nossa morte?
Sempre fui muito sonhadora, dramática e sofredora também. E sempre tive muito medo de tentar e não conseguir nada. E por isso... muitas vezes não tentava nada! Preferia ficar quietinha no meu canto sonhando, desejando, vivendo em fantasia... e não seria isso também outro tipo de morte? Viver apenas para sonhar, sem nada fazer para que esses sonhos tão lindos se realizem? Sentindo a tristeza de não ter feito nada por si mesma, não ter conseguido realizar nada ? Mas sem tentar, sem erguer meus punhos e lutar pelos meus objetivos... não há jeito de conseguir alcançá-los...
Tento me lembrar disso todos os dias, e dia após dia enfretar o medo de encarar os desafios, porque também é um pavor viver estagnada. Medo de cá, medo de lá... então minha grande escolha é aliar-me a um deles.
Desculpem o post subjetivo, quase etéreo ao qual me dediquei a escrever no dia de hoje. Apenas me encontro numa estrada que me proporciona diversas bifurcações e estou parada, pensando para que lado andar, tentando observar ao máximo o que cada caminho poderia me trazer.
[Continue reading...]

17 de janeiro de 2011

As novidades velhas da minha vida!

As vezes não é tão fácil achar um assunto para blogar quando sento e resolvo escrever aqui. Quando caminho pelas ruas os assuntos, as maneiras de abordá-los, tudo parece fluir naturalmente, de uma forma deliciosa em minha mente.E quando quero compartilhar algo, alguma esmeralda encontrada por onde minha vida me leva, fico imóvel, estática, sem saber o que falar ou como falar.

Não vale! Hoje em dia podemos escrever de qualquer local, nos conectar em todos os momentos e nos mantermos informados querendo ou não . Vejo gente que consegue assunto para tudo, ah... eu também consigo, só que não quando estou em frente ao computador, prontinha para que as idéias apareçam. Mas elas somem!
Então, como também andei sumida e como muitas coisas já aconteceram, mudaram e tudo mais, vale a pena contar a todos vocês (que ainda conseguem ler o que escrevo) como tem sido minha vida e o que tenho feito nos últimos meses.

Voltei da Holanda, é, eu sei, isso não é novidade e vocês já sabiam disso (eu acho!). E não estou nem um pouco contente com o calor brasileiro... eu que amava a neve holandesa e os dias frios em que eu colocava um casacão e me sentia bem. Aqui não há como me acostumar, sem ter ar condicionado, por mais que eu já esteja peladona, o calor ainda é o mesmo!

Mudei-me para o apartamento do meu namorado, e estou de mudança novamente. è, a vida acontece! E não estou assim pronta pra conversar sobre o assunto. Não sou fácil de conviver e eu sei, mas não por isso que resolvi voltar a morar na casa do Papassinos. Só sei que as coisas muitas vezes não saem como sonhado ou planejado, e como acabei de ler em outro blog " não podemos ter tudo" e é preciso fazer escolhas...

Adotei uma nova gatinha, a Mia, o motivo da minha grande discussão com meu namoradinos: quem fica com a Mia (e o Kimi)? engraçado pensar que nos apegamos tanto a ela, que ao olharmos um pro outro ficamos pensando se estamos agindo certo... o que seria melhor pros nossos gatos, e o que eles vão sentir, se vão se adaptar, etc... è mole???

Kimi, meu gatinos, ficou doente. De Novo! Mas desta vez não é cristal na bexiga nem pedra no rim. Primeiro foi coágulos na bexiga e obstrução, depois cistite hemorrágica e sangue na urina para todos os lados. Até convulsão ele teve! E meu coração junto. E o do Felipe também. Acordamos várias vezes de madrugada para olha-lo e ver como ele estava, secá-lo para que ele não ficasse mais doente por estar molhado quase que ininterruptamente. O felipe já o ama tanto quanto eu, e juntos procuramos um meio de não estressar mais nosso "filhotinos" , acalmá-lo para que ele se cure rapidamente.
Porque será que me sinto uma mãe para meus gatos??? Acho que to ficando velha e repassando a necessidade das mulheres de serem mães aos meus bichinhos de estimação... ai ai aiiii....

terei minha colação de grau no mês que vem! E ALELUIA!!! Finalmente! Acho que adiei tudo ao máximo, mas não tem jeito.. vou ser formada! E vou seguir meu caminho... estudo possibilidades de fazer um mestrado fora ( feliz contradição que me faz voltar a casa do pai e torcer para que meu namorado decida que vá comigo) e penso o que fazer do futuro. Assusta! ser formada me assusta! Me pergunto sempre porque ainda parece que não consegui ou conquistei nada na vida... e os anos continuam passando...

estou trabalhando! è, estou mesmo. Numa empresa de exportação de café chamada Market, recém chegada ao ramo da exportação e muito promissora! Bom, assim espero! O sucesso da empresa é também o meu sucesso ;)

Estou a procura de uma bicicleta usada e boa! Sinto a maior falta de pedalar pra lá e pra cá e a que eu estava usando está caindo aos pedaços e não há mais como salvá-la...

Bom, acho que as novidades velhas da minha vida são essas, mas logo o tempo passa e estarei de volta, pedindo desculpas pelo atraso e comentam um pouco mais de tudo isso...

Beijoooos
PS : caso vocês queiram posts de assuntos especificos, fiquem livres para pedí-los, assim terei o que falar e pensar para poder escrever aqui ;)
[Continue reading...]

11 de janeiro de 2011

Feliz 2011

Há muito tempo que não apareço por aqui. Aos que pensavam que minha busca pelas esmeraldas espalhadas mundo afora havia chegado ao fim, uma surpresa. Estou de volta! E desta vez, pretendo não mais me ausentar por um período tão longo.



Sim, estou de volta ao Brasil, tentando ainda me adaptar ao ritmo e ao calor tipicamente brasileiros e a vida nova e diferente. Diferente por que nunca voltamos os mesmos após um tempo morando fora, e nem precisa ser no exterior para isso! Quando moráva em Marília e retornava nos fins de semana já sentia essa diferença, as vezes mesmo uma distância e só podia respirar aliviada nas segundas-feiras pela manhã, quando retornava á minha casinha mariliense e pensava ter chegado em casa...



E após uma viagem ou estadia no exterior, tudo muda muita, ou melhor, nós mudamos muito e até mesmo as pessoas que conhecíamos parecem diferentes, estranhas e por vezes distantes.

A passagem do ano para mim sempre representou um oportunidade de vida diferente, por mais que seja apenas uma data, somos nós quem conferiamos a ela a energia de esperança e mudança que ela tem. E eu consigo sentir essa energia vibrando dentro de mim todos os anos. E olhando os fogos ao longe, de uma janela no alto do oitavo andar de frente pra praia, senti a energia da esperança, da mudança e da determinação se formando em mim. E soube então, que faria tudo para realizar meus objetivos... sejam eles difíceis ou não!

Feliz 2011 a todos!!!
Volto em breve! MESMO!!! hahahaha
Nadz
[Continue reading...]
Designed By Yasmin Mello | 365 dias