23 de agosto de 2012

A diferença entre nós

Share it Please
Fonte desconhecida

"Serabai lhe explicou uma vez por que aquelas pessoas tinham o cabelo louro e a pele da cor de parede de hospital; disse que havia alguma coisa faltando em seus corpos e que vinham para locais de clima quente como Bombaim para escurecer a pele. Sentia pena deles e, vendo seus cabelos compridos e roupas gastas, queria lhes dar dinheiro, mas Sera se ria disso e dizia que não precisava ter pena, porque eles na verdade sentiam orgulho de sua pele branca. "Como é que se pode ter orgulho de uma coisa que está faltando no próprio corpo?" Era o que Bhima queria perguntar, mas antes que pudesse fazê-lo, Sera lhe explicou que eles não precisavam do dinheiro dela; disse também que eles vinham de lugares mjuito mais ricos do que ela podia imaginar. Então, Bhima teve a certeza de que Sera estava mentindo, porque bastava olhar o cabelo sujo deles, suas camisas desbotadas e calças azuis rasgadas para que qualquer imbecil soubesse que aquelas pessoas descuidadas e sem cor eram muito pobres".

 
Thrity Umrigar : "A distância entre nós" pág.:99
 
Para pensar né?

4 comentários:

  1. Realmente é pra se pensar.
    Só essa foto já é de grande impacto. Nessas horas a gente para pra pensar nas diferenças que existem e realmente não são poucas. Mas na minha humilde opnião eu acho que é isso que faz o mundo, que faz nós sermos o que somos, a diversidade.
    Beijos,
    Yasmin quer falar

    ResponderExcluir
  2. Só por esse pequeno texto me deu uma curiosidade imensa de ler esse livro. Parece tão interessante!

    ResponderExcluir
  3. .



    No meu aniversário
    eu não sinto saudade
    do passado, mas do pre-
    sente eu sinto.

    Beijos,

    silvioafonso





    .

    ResponderExcluir
  4. para pensar meesmo! as vezes a diferença é que nos faz igual não é mesmo ?

    beijos,
    da uma passadinha aqui e conheça meu trabalho

    l-fotografias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Procurando uma esmeralda? Que tal aqui?

Designed By Yasmin Mello | 365 dias