5 de novembro de 2008

Além do manual

Share it Please
Durante este meu ano em busca de uma família que me recebesse como au pair, muitas vezes me deparei com algumas perguntinhas báscias que eu nem imaginava como responder: Quais critérios devo usar ao iniciar minha busca? Acho que cada aspirante à au pair vai por um caminho diferente e eu nem imaginava como eu conheceria o meu. O que eu procuro? Facilidade de acesso à cidade? Idioma conhecido? Pouco trabalho? Horários flexíveis? Aiii... eu nem sei!

Não foi fácil chegar a nenhuma conclusão e as vezes , ainda hoje, já com a família determinada (mas ainda sem conhecê-los pessoalmente), me pergunto se como eu fiz foi certo e se não terei ainda alguma grande decepção. Primeiro comecei a pensar no que eu mais valorizava na minha própria família, para que eu pudesse então estabelecer um parâmetro que me fosse conhecido.
A primeira coisa na qual pensei foram nossos valores. A seguir você encontra alguns trechos do site Manual da Au Pair :

Principais pontos na escolha de uma familia
Depois de muito pensar sobre isso, e depois de ter que inventar duzentas mil explicações para aspirantes à au pair que me perguntavam isso sempre, cheguei à seguinte conclusão: família boa é aquela que tem valores familiares bons. O que isso significa? Que algumas atitudes das famílias podem tirar o estímulo da(o) au pair trabalhar. Coisas do tipo:
  • Os pais saem muito e não levam as crianças, deixando-as nas mãos da(o) au pair;
  • Os pais não colocam as crianças para dormir muitas vezes por semana;
  • Os pais estão em casa, mas não brincam com as crianças;
  • Os pais não fazem refeiçoes que poderiam fazer com as crianças;
  • Não levam as crianças ao médico quando necessário...
    entre outras.
Uma au pair nunca será a substituta dos pais, mesmo na ausência deles, a au pair é aquela irmã mais velha, que auxilia as crianças, mas que não impõe limites e ordens de acordo com sua própria cabeça. Ela deve respeitar as regras da família, supondo que a mesma as tenha definido. A importância da au pair está justamente em tornar o convivio entre pais e filhos mais fácil e dinâmico, pois é ela quem fica com as crianças quando os pais não podem atendê-las devido ao trabalho e outras situações do gênero. Otimizar o tempo entre pais e filhos, possibilitando horas de qualidade entre eles, ela nunca poderia substituir nenhum dos pais naquelas atividades em que a criança conta com a presença dos pais para que lhes dê segurança e conforto.
Atente para o seguinte: a família pode ser ÓTIMA e fazer algumas dessas coisas, mas eu tenho para mim que valores familiares são, num todo, partes de um pacote. Ou tem, ou não tem. Os pais devem ter momentos particulares, mas eles colocaram os filhos no mundo e não deviam deixa-los de lado muito frequentemente. Deve haver um equilíbrio.
O que muitas vezes não acontece, é essa distinção do papel da au pair na casa. Por mais que os pais saibam e compreendam o que é ter uma au pair em casa, isso deve ser passado às crianças, afinal é com elas que a au pair vai trabalhar. E são elas que mais tem dificuldade em entender as diferenças, apegam-se facilmente( e não só as crianças)! Muitas conhecidas me contam, que uma vez que você se apega torna-se muito mais dificil impor seus limites, mas todas também advertem que além disso, também é necessário.

Eu, na realidade, não conheço a fundo a família com a qual viverei o ano que vem e como eles são entre eles, tenhos minhas esperanças e medos, mas o principal é definir para mim mesma o que eu espero desta experiência, o que eu espero deles e o que eu posso e quero oferecer a eles. Com isso, tudo deve ficar um pouquinho mais fácil, principalmente no início.
Faça perguntas REFERENTE ÀS CRIANÇAS E À VIDA DA FAMÍLIA , do que elas gostam de fazer, de comer, onde gostam de ir. O que tem de diferente e legal no local onde eles moram. Pergunte sobre o trabalho dos pais, se eles gostam, se trabalham dentro de casa ou fora todos os dias, quais os horários.
Queira saber o quanto antes sobre os horários. Você pode descobrir que terá que trabalhar todos os dias até as 10 da noite e ter as manhas livres. Veja se é do seu gosto.
Não aceite nada que você não concorde, faça exigências, negocie, ou você não será feliz . Mas pondere. Talvez você não tenha um celular, mas tenha um carro que seja só seu. Ou talvez você tenha que dividir o carro com os pais, mas tenha todos os fins de semana livres. Seja flexível. Não espere família perfeita porque elas não existem. Assim como não existe au pair perfeito.
As perguntas são essenciais.Lembro-me de que a Erika muito me alertou sobre conversar sobre tudo e tirar todas minhas dúvidas e meus receios antes de cair de cabeça nessa aventura. Toda essa preparação e tudo que tenho feito visando essa minha futura experiencia tem me garantido muito mais responsabilidade e coragem, tenho me afirmado muito mais como pessoa. Creio ser por isso que meus pais confiam em mim a este ponto, e tem apenas um medo saudável em relação a isto tudo. É normal, eu também tenho. O que eu faço é permanecer com a mente e os olhos abertos, atenta às oportunidades e possibilidades.

Por hoje é só isso... beijos a todos e aos interessados, deem uma olhada no site que eu indiquei :)

5 comentários:

  1. Oie Nadja,
    Q bom mais gente c o pe no mundo... ebaaaaaa!!!

    Olha sinto te informar q depois q vc for au pair vc vai entender q tudo o q vc escreveu realmente acontece e aqui e normal, eu acredito q eles tem filhos so p demosntrar, pois quem cria, da educacao e brinca c as crias deles sao as au pair... refeicao juntos, de vez em quando... sair junto? pra que? nem em sonho... au pair e muitas vezes pai e mae, tanto p representar no colegio, p os amiguinhos ou so p os caprichos deles, ou muitas vezes pq ficamos c do deles, ou estamos apaixonadas pelas criancas e nao admitimos.... ser crianca no Brasil e melhor, pois no Brasil existe FAMILIA!!!

    Mas nao escrevi isso p te desanimar, e so p vc saber q a realidade e outra, nos muitas vezes nem temos experiencia c criancas e cuidamos muito bem das crias deles!!!

    Bjao, boa sorte, q apareca logo uma familia exatamente como vc deseja e q esta familia lhe faca feliz nessa nova aventura!!!

    ResponderExcluir
  2. Oiii. tudo bem com voce.
    vim conhecer seu blog. O meu praticamente nao uso mais, ficou no passado, hj fazem exatamente 4 anos que fui ser au pair!!!

    Me diz uma coisa, voce esta indo por agencia??? Se estiver qual!

    MUITAAAA sorte para voce!

    Mirna

    ResponderExcluir
  3. Oi Nadja! Que bom que você tem um novo blog! E está a caminho da Europa! É pra Holanda que você está indo?
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    Bom,na teoria é uma coisa mas na pratica e completamente diferente.Minha host family não é das mais folgadas,rsrs, mas ja vi varios casos absurdos.Isso depende muito da familia e e claro de vc tb,é bom impor respeito,e deixar muito claro que vc tem um passado antes de se tornar uma au pair.Tem familia,estudo,boa base familiar,etc.
    Bjos e boa sorte.
    Nao fique preocupada ou pensando se vc escolheu a familia certa ou não,isso é impossivel saber...mas saiba que voce tem a oportunidade de mudar se nao tiver feliz...
    Eu vou para Oslo,primeiro que cansei de Bergen,segundo que a minha host family tem viajado muito a trabalho e com isso tenho ficado mais tempo com as kids.
    Fui,
    Bjo

    Ah vou adicionar o seu blog no meu,okay?

    ResponderExcluir
  5. Oi Nadja! Estou aprendendo muito com seu blog, pois esse mundo das "au pair" é completamente desconhecido prá mim!
    Parabéns pela determinação e perseverança! E se precisar de dicas para se morar fora, é só gritar!
    Bjs!

    ResponderExcluir

Procurando uma esmeralda? Que tal aqui?

Designed By Yasmin Mello | 365 dias