15 de novembro de 2008

Mais que um ato de nobreza

Share it Please

Alguém aqui já considerou a adoção como uma possiblidade real em suas vidas?
Meu objetivo hoje não é mudar as cabeças de vocês, afinal adotar uma criança é um ato muito sério que requer muita reflexão e responsabilidade. Minha intenção é ajudá-los a tratar com maior facilidade e reduzir os tabus relacionados a ele.
Infelizmente aqui no Brasil, a adoção ainda está entre um dos maiores tabus da família brasileira. E eu me arriscaria a dizer não somente da família, mas da constituição do nosso país.
Eu sempre tive o sonho de adotar, sempre desejei expandir um dia minha família com no mínimo duas crianças adotadas, então, quando eu namorava, numa conversa ou em outra, surgia aquele super tópico... nosso futuro... nossos filhos... todos aqueles sonhos,né? Então, também surgia a pergunta : " Mas... você não pode ter filhos?" E como imagino que posso ter filhos, esta vinha seguida de uma outra " Mas... como você pode amar um filho adotado da mesma maneira que um filho biológico?"
Ah, isso para mim era demais! Mas eu sorria e procurava compartilhar meus pensamentos, e meus motivos para eu , tão jovem, já pensar em adoção. Filho é filho... não importa se biológico ou adotado. Pouco importam seus genes... o sentimento vai muito mais além. E no mundo inteiro há crianças esperando por uma família, um lar, um sentimento...esperando por pertencer a algum lugar... Quem eu seria se nào pertencesse aos Pousada Betim Paes Leme? Se não tivesse sido criada com amor e carinho, mesmo nas piores horas?


No Brasil, a nossa constituição favorece o direito à nacionalidade brasileira antes que uma criança seja liberada para adoçào internacional. A nacionalidade no Brasil entào vem antes da família e do bem estar ? Ou como diria constituição estadunidense... antes do direito a busca da felicidade? Creio que pouco progresso tem sido feito nessa área... e eu fico imaginando quantas crianças e adolescentes não estariam com uma família, ganhariam presentes de Natal neste ano e celebrariam a ceia se tudo fosse menos burocrático.
mas mesmo assim, nossa burocracia não impede adoçòes. E até recentemente melhorou em alguns pequenos quesitos... mas já indican que alguns passos estão sendo dados nesta direçao.

Algumas histórias de adoção me marcaram muito, mas vou partilhar com vocês a que conheço melhor, que acompanhei mais de perto.Quando eu trabalhava na pré-escola, em Santos, conheci muita gente, e me dava bem com todas as "tias"
e a Tia Selma, moça simpática e bonita que antes dava aula no primário, sempre visitava uma creche, brincava com as crianças e sempre havia pensado em um dia adotar uma delas. Lembro-me até hoje do dia em que ela me contou como conheceu o Lucas, que viria a ser seu filho. Ao chegar na creche, naquele dia, ela notou que em um dos berços um pézinho pequenininho se levantou logo que ela chegou... Perguntou se tinha um bebezinho por lá e a levaram para conhece-lo... Ai... mesmo quando ela me contou, seus olhos quase se encheram de lágrimas.. ou os meus que se encheram e pareciam que os de todo mundo estavam assim também. Ao ve-lo pela primeirissima vez, ela começou a chorar... "Você o conhece?" "Nao" Mas acho que ela sentia que sim... E engraçado que ele até se parecia um pouco com ela... tão gracioso e levadinho!!!

Hoje me pergunto como será que eles estão, será que mudou muita coisa? Ele ja deve estar com uns 6 ou 7 anos!!!! AAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHH... como o tempo passa!!!Se um dai vo~cê ler isso.. beijos Tia Selma e Lucas!!!!

Adoção está muito além de qualquer palavra do nosso dicionário... seja ela nobreza, caridade, amor ou dedicação... ou mesmo sonho... estar pronto para adoção requer muito mais que uma decisão... é um modo de vida, é um jeito de encarar o mundo além das nossas fronteiras... além daquilo que sempre estivermos cercados... Eu diria até que a palavra certa é reunião... de você com alguém que você achava que não fazia parte da sua família... Por isso não tenham medo, mesmo que isso ainda não faça parte do seu dicionário!!!

beijos a todos!!!!

12 comentários:

  1. Nadja, isso mesmo, adotar uma crianca nao está no dicionário esses sentimentos que levam as pessoas a fazerem isso.

    A primeira coisa a fazer quando se deseja ter uma crianca do coracao, é comecar a visitar os abrigos. Ali, você vai sentir realmente se deseja ter uma crianca dessas com você ou se vc vai adotá-lo de uma outra forma. Assim como essa sua professora fez. Ia visitar o abrigo e um dia encontrou seu filho lá.

    Obrigada pela participacao, valeu.

    ResponderExcluir
  2. Tb sempre tive vontade de adotar,muitos motivos me fez sempre pensar nessa possibilidade.
    Afinal,como vc disse,filho é filho.

    Bjo e bom domingo,

    Ah,faz muito tempo que eu assisti o filme que vc comentou no posting abaixo.
    Tb sou uma eterna sonhadora,sonhar e muito bom e isso faz com que nos seguimos em frente,etc..
    Acho que voce esta muito ansiosa com essa nova experiencia que daqui uns meses vc enfrentara,um conselho que eu te dou..medite,rsrs,adorooo.

    Fui

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Nadja,
    também participei desta linda blogagem e me emociono com cada postagem que leio.
    Esta blogagem vai ser uma ferramenta muito importante pra quem está em dúvida quanto à adoção.
    Servirá como base e incentivo.
    Adorei seu post e seu blog minha querida! Parabéns.
    Um beijo...
    Serena.

    ResponderExcluir
  4. É uma responsabilidade enorme e um ato nobre também. Parabéns pelo post. Bom domingo!!!

    ResponderExcluir
  5. Nadja, muito boa a postagem. Sou uma mae adotiva e foi o melhor presente que Deus me deus. Boa semana. Bj

    ResponderExcluir
  6. Bom dia , é sempre importante a adoção consciente.
    Eu ajudo um orfanato para crianças carentes aqui no Rio de Janeiro (monetariamente).
    Uma vez por semana, vou brincar e conversar com aqueles que tanto necessitam de afeto.e é o que eles (as crianças) mais gostam
    É meu modo de ajudar.
    Parabens pelo post.
    Muito bom teu blog.
    Foi bom conhecer.
    Maurizio

    ResponderExcluir
  7. Muito linda a história desta professora e espero que isso um dia aconteça comigo!
    Obrigada pelas suas doces palavras em meu blog!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Olá Nadja!
    Que alegria recebê-la la no meu cantinho Roda de Prosa.
    Agradeço imensamente por ter lido meu texto e comentá-lo.
    Estive visitando o seu espaço...Gostei muito.
    Adorei ler vc.
    Parabéns pela participação na blogagem coletiva.
    Venha sempre visitar-me...Irei, também, visitá-la, sempre que puder.
    Bom trabalho a você!
    Muita paz!
    Beijossssssssssss

    ResponderExcluir
  9. Que linda a sua mensagem Nadja!
    Adorei como escreveu, ficou uma graça.
    Boa sorte na viagem!
    Sucesso, beijos, mari!

    ResponderExcluir
  10. Oi, estou vindo aqui te avisar que os posts sobre a blogagem coletiva estao todos em um único blog para faciliatr que deseja lê-lo.

    O seu também está lá.

    Entao, dá uma passadinha por lá vê se está tudo bem prá você como tudo ficou por lá com o seu post.

    Aqui o link do blog: http://blog-blogagem.blogspot.com/

    Te desejo um ótimo final de semana.

    Abracos do Dácio e da Georgia

    ResponderExcluir
  11. Minha prima é filha adotiva. Meus tios a adotaram quando ela tinha 1 ano e meio e hoje ela já tem 10 (realmente, o tempo passa!!). Mas a questão é que hoje ninguém mais lá em casa se dá conta que ela é adotada. Se duvidar nem os amiguinhos dela não sabem disso. Tudo isso pq é como vc falou: o mais importante foi o amor com o qual os meus tios a estão criando.

    Bjos!!

    ResponderExcluir
  12. Adocao é um ato realment emuito nobre! PArabéns pela iniciativa de falar sobre isso!!
    Obrigada pela visitinha!

    bjs
    Ana

    ResponderExcluir

Procurando uma esmeralda? Que tal aqui?

Designed By Yasmin Mello | 365 dias