3 de fevereiro de 2009

O porco e o Picasso

Share it Please


Na volta do jantar de Formatura, logo que chegamos ao hotel, eu, meu pai, meu irmão e minha irmã sentimos um cheiro forte de borracha queimada. Sai do carro rapidamente e deixei que meu nariz me levasse onde sentisse o cheiro com maior intensidade, vi que meus irmãos faziam o mesmo. E cada um parou em um canto diferente do carro, com meu pai parado a frente do carro apenas observando a cena, coçando a cabeça num sinal de dúvida.

No dia que se seguiu o cheiro havia passado. Nossa preocupação também. Nosso Picasso já nos dera muitas alegrias, quando a Highlux (que deveria me buscar em Marília e trazer todas as minhas tralhas queimou a junta do cabeçote e resolvera pifar), foi o Picasso que com toda sua coragem tivera que fazer o trajeto. Papassinos, Mamessinas, eu, Kimi e 80% das tralhas de 4 anos de faculdade. Um carro, guerreiro, surpreende... Santo Milagreiro Multiplicador de Espaço!!!

No domingo pela manhã, assim que cheguei do baile, meus pais já estavam quase prontos para o café da manhã e para rumar a santos novamente. O carro estava novamente lotado, 5 pessoas, nossas malas de viagem e os 20% de tralhas restantes.

Pouco antes de nossa primeira parada, há uns 20 minutos após passarmos por Botucatu, ultrapassamos um caminhão de porcos. Lindoooos! Fiquei toda animada e todos ficamos dizendo " ai eu quero um porquinho... que lindinhos...". Estavamos com o ar condicionado ligado, por isso nem pensamos no cheiro que o caminhão devia exalar ao passar. Devia estar lotado com centenas de porcos, e me recusei pensar que eles iriam para algum... ahn... *censurado*

Fazíamos uma viagem tranquila, quando uma hora e meia antes de São Paulo, o carro alertara estar em sua temperatura máxima, o que fez com que meu pai arregalasse seus olhos , surpreendendo a todos. Após parar no acostamento, Papassinos e Riquieto (meu irmão Mauricio) levantaram o capô para olhar o motor, não estava quente. Nada além do normal. Mesmo com essas evidencias, meu papassinos precaveu-se e jogou todas nossas ultimas garrafinhas de agua no motor, com a intenção de refrescá-lo.

Decidimos então delsgar o ar condicionado, abrir as janelas, desligar o rádio, enfim, tantar de tudo para consumir menos energia do Picasso. Funcionou. Uma meia hora a mais de estrada e ligamos o ar condicionado novamente, não havia como escapar do calor... o desejo era mais forte que nossa vontade de poupar o veículo. Novamente o mesmo problema. Papassinos não apenas desligou o ar como o reverteu... passamos a sentir um vento extremamente quente vindo em nossa direção; Abri a janela correndo, enquanto meu pai explicava que isso poderia refrescar o motor mais uma vez. Também sentin que lentamente ele diminuia a velocidade... mas nada da temperatura do carro baixar.

--Esse negócio está quebrado. è a úncia explicação! - reclamou meu irmão

Com um sorriso avistei São Paulo.... só um pouco mais de viagem e estaríamos em casa. E não foi com muita animação que notei a pulga de preocupação na testa de meu pai, persuadindo-o a parar o carro no acostumento mais uma vez. E ela vencera a batalha. Paramos. Já ensaiaramos parar toda vez que passavamos por um SOS na estrada e creio que após a chuva fortissima que pegamos, meu pai decidira que era melhor não arriscar mais.

Socorro chamado. Pronto. Era questão de alguns minutos. Meia hora mais tarde, o guincho estava à nossa frente, e o mecanico do seguro sorria quase maliciosamente, como se soubesse o que meu pai tinha passado com a Highlux em dezembro passado.

--è a junta do cabeçote.- exclamou ele- queimou.

Em dezembro, meu pai pedira a HighLux da empresa em que trabalha para poder me buscar em Marília. Na bandeirantes, ela parou... voltaram a Santos, após chamar um colega e ela voltou a pegar logo que chegaram na cidade praiana. Então, meu pai resolveu tentar mais uma vez... e novamente no mesmissimo lugar, perto de um posto de gasolina ( hehehe) ela recusou-se a seguir em frente.

Tivemos que esperar o táxi que nos levaria a Santos, enquanto meu pai e meu irmão se aprontavam para ir de guincho. Eu ameaçava colocar meu pé para fora do carro a fim de tirar a foto que vocês veem no inicio do post, quando ouvi as vozes de minha mãe e minha tia .


--Os porquinhoooos! Olha só!!! Já ultrapassaram a gente!!! - e em menos de um segundo...

--Ai não, esse cheiro...!!! Aaaahhhh!! Arrrrgh!!! - a primeira frase viera de meu irmão, mas não tardou ao resto da familia, eu inclusive, poder sentir o cheiro dos porcos incendiar o carro com nossas vozes abafadas, roucas e eloquentes.

Descobri o problema. Toda vez que meu pai fizera o caminho santos-marília ele estava acompanhado de no minimo um animal, seja gato ou cachorro! E tanto em dezembro com a HighLux ou este dia com o Picasso... só havia gente a bordo! Era a unica explicação!

è... definitivamente... deviamos ter adotado um porquinho...

13 comentários:

  1. Que bom vc nao tava sozinha nessa viagem. Gostei do nome do carro, super criativo! hehe

    ResponderExcluir
  2. Sampa marilia fiz muito, trabalhei 2 anos em Marilia..momentos otimos, muito mesmo, mas nunca uma aventura como a sua..rs
    Besos

    ResponderExcluir
  3. Oiii!

    Vc vai ser au pair na Holanda, que legal!!!
    Ai, é mta emoção mesmo, viu?!

    Vc embarca que dia??

    Eu vou cuidar de 3 crianças! E vc??

    Te desejo muitaaa sorte!!
    Beijooo

    ResponderExcluir
  4. Ahhh, e obrigada!!
    Parabéns por já ter feito match também!!! :)

    Beijoo

    ResponderExcluir
  5. Muito boa sua história (real) do Picasso e os Porcos. Sugestivo nome e texto muito engraçado!
    Obrigado por SEGUIR o VARAL, e foi muito bom conhecer seu blog!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. o carro nao teve nada.kkkkkkkkkkkkkkkkk..ta inteiroooooo...como eu.ahuhauha..bjsssssssssssssss


    nao o carro e meu.

    ResponderExcluir
  7. Olá

    Seja bem vindo a meu blog ele está apenas no começo. Nossa Holanda que destino diferente??

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Nadja, obrigada pela forca!!! Boa sorte com seu estudos tb!

    Menina que sufoco, eu tenho trauma com carro dando problema no meio da estrada... haha. Que bom que o guincho veio logo.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  9. Vc teve sorte em viver no interiorrr, percebo lá as pessoas sao mais receptivas e aceitam melhor os ´estrangeiros`.

    E tenho que concordar, os estrangeiros sao os que melhor tratam os próprios estrangeiros.

    A vida aqui nao é fácil né amiga!

    ResponderExcluir
  10. Bom dia,
    Você parece ser bam familia, né? Bonito isso.
    Bjus e boa semana.

    ResponderExcluir
  11. Olá!! muito obrigada por me visitar, quanto ao erro ele já foi corrigido!! e não foi propotência não, ficou realmente melhor o "imersas" ahahahah!!
    seu blog também é muito bacana! Estou acompanhando seu blog ok?
    tudo de bom pra você aí mulher!
    beijocas de luz

    ResponderExcluir

Procurando uma esmeralda? Que tal aqui?

Designed By Yasmin Mello | 365 dias